quinta-feira, 29 de setembro de 2016

NUNCA SEDUZA UM ESCOCÊS Capitulo 29 parte II

Anton se encolheu. “Eu não podia acreditar. A moça não teve nenhum problema tentando arrastar a madeira, ela teve cinco toras alinhadas para o primeiro fogo antes de eu vir para o corredor.”
Joseph fechou os olhos e balançou a cabeça. Isto foi um absurdo. Disparate total e absoluto e não importava o que tinha dito Selena ou se era válido o seu argumento, não havia nenhuma maneira que estava permitindo que isso continuasse.
Ele foi impedido de exigir uma prestação de contas de cada mulher no castelo quando Demetria depressa entrou, o rosto pálido de frio. Vários fios de seu cabelo havia se soltado de sua trança e emoldurava seu rosto. Apesar de sua expressão aflita, ela ainda conseguiu tomar fôlego quando viu Joseph a distância.
“Oh, boa manhã, Joseph,” disse ela, sem fôlego. Ela mergulhou numa reverência e depois se apressou a passar por ele em direção à mesa onde a comida já estava sendo servida.
Ele piscou e girou para que pudesse acompanhar seu progresso através da sala. Ela sentou-se ao lado de sua cadeira e sorriu para seus irmãos, que já tinham tomado os seus lugares. Apenas Selena estava faltando, mas a moça nem sempre vinha para quebrar o jejum com os outros.
Antes de sair para ir sentar-se com ela e seus irmãos, ele se virou para Anton com uma carranca rápida. “Não permita que isso aconteça novamente. Você tenha certeza de que ela não tente transportar madeira dentro deste castelo até mesmo se você tiver que empilhar dentro. Ela não é responsável pelos fogos.”
Anton acenou com acordo e Joseph saiu para ir sentar-se ao lado de sua esposa. Ela sorriu brilhantemente para ele quando se sentou ao seu lado. Apesar de sua aparente alegria, ele podia ver as manchas escuras debaixo de seus olhos e o fez bravo mais uma vez que ela estava trabalhando tão duro para encontrar aceitação e seu clã estava sendo ridiculamente cabeça dura em sua resistência.
Quem poderia resistir a um sorriso como o dela? Além disso, como alguém poderia passar sequer por um momento na presença de Demetria e achar que ela era qualquer coisa como seus parentes? Os Lovato eram muito, sanguinário selvagem que não pensavam em nada além de matar outros para atender às suas finalidades. Demetria era uma moça bondosa que não tinha um osso ruim em seu corpo.
Só que ela tinha levantado uma espada para as mulheres de seu clã e as tinha feito correr todas para fora do castelo.
Ele franziu o cenho sobre esse assunto. A moça tinha estado sob coação e ela dificilmente poderia ser responsabilizada por uma tomada de posição em face de tais mesquinhos insultos.
Ele tinha toda a intenção de estudar o assunto de todo este trabalho, que ela estava apresentando sobre a refeição da manhã, mas ela mantinha uma animada conversa com seus irmãos, embora não tivesse ideia do que a conversa era, exatamente. Ele não tinha certeza de que seus irmãos tinham ideia mais do que ele fazia, mas elas a favoreceram e responderam com um pronto sorriso.
Ele apreciava a sua aceitação e seu apoio, e sabia que com o tempo isso iria sangrar para o resto do clã. Talvez Selena estivesse certa e Demetria só precisava de algum tempo para se adaptar e tempo para conquistar as mulheres.
Pareceu-lhe que ela já tinha o apoio de seus homens. Eles não pareciam inclinados a querer que ela sofresse e até agora não tinha ouvido falar de nenhum insulto de um homem para ela. As mulheres, no entanto, eram outros assuntos, mas, mesmo assim, ele não podia exatamente culpa-las por sua lealdade a ele e ao nome de Jonas.
Ele suspirou. Era uma questão difícil de ser determinada. As mulheres sempre foram firmes em apoio dos homens do clã. Era uma questão que sempre trouxe a Joseph muito orgulho. Sua própria mãe tinha sido um fator importante para esse tipo de lealdade feroz, inflexível para as mulheres.
Antes que ela morresse ao dar à luz a Selena, ela frequentemente se reunia com as mulheres ao redor dos homens, pregando a importância de ter laços fortes nos clãs que se estendiam para cada homem, mulher e criança. O pai de Joseph tinha ficado de fora, rindo e dizendo que era um homem tolo, que atravessasse o caminho de sua esposa porque ela era mais feroz do que qualquer guerreiro que Robert Jonas tinha treinado.
Sua mãe teria gostado de Demetria. Joseph não enganar a si mesmo ao pensar que a aceitação de sua mãe de Demetria teria sido automática. Ela teria recebido o casamento com todos os receios como desdém tanto quanto todos os outros membros do clã tinham. Mas com o tempo, ela teria sido atraída para o charme de Demetria charme e sua poder de recuperação. Ela também teria aprovado calorosamente por Demetria ter feito o suficiente para ter evitado o casamento com um homem que pretendia extremamente abusar dela.
Joseph franziu o cenho quando Demetria levantou depois de ter terminado a sua refeição. Ele tinha toda a intenção de abordar a questão de suas funções.
“Um momento, por favor, Demetria,” disse ele quando tinha certeza que tinha sua atenção.
“Oh, me desculpe, Joseph. Eu não tenho tempo agora. Há deveres para assistir e eu tenho certeza que você deve estar ocupado com os homens. Nós vamos discutir o que é que você tem na sua mente no jantar.”
Com isso, ela sorriu e beijou-o nos lábios na frente da sala inteira. Então, ela deu um tapinha no rosto e alegremente continuou. Ela saiu da sala em um passo rápido, deixando Joseph completamente confuso.
Não foi até um momento depois que percebeu que ainda estava congelado para a sua cadeira, e a marca de sua boca ainda formigamento nos lábios.
Havia risadinhas e gargalhadas ao redor, mas ele não lhes deu nenhuma atenção. Seu olhar estava voltado para o balanço suave da parte inferior de sua mulher quando saiu do salão.


Joseph ta pensando na esposa com a cabeça de baixo.

quando a bomba estourar, tudo vai desandar
bjemi

Um comentário:

  1. Meu deus eu to louca de curiosidade, posta mais.

    ResponderExcluir