segunda-feira, 21 de novembro de 2016

NUNCA SEDUZA UM ESCOCÊS Capitulo 44 parte II

Ele deu o tempo de uma tocha passar e se preparou para voltar com os outros, que já estavam subindo de volta a corda, quando seu olhar caiu sobre uma perturbação na terra contra a parede oposta.
Ele andou para frente, segurando a tocha em frente a ele, aproximando-se para a parede. Havia uma pegada, uma que ele e os seus homens não tinham feito, por isso não era possível.
Metade da impressão era visível. A outra metade parecia desaparecer na parede.
“Kevin! Nicholas!” ele latiu. “Aqui!”
Um momento depois, os outros o cercaram e ele apontou para baixo.
“Onde ela está?” Brodie rosnou, pela primeira vez, dando voz ao fato de que ele acreditou em tudo que Joseph tinha dito.
“O que está para além desta parede?” Joseph exigiu.
Patrick balançou a cabeça, o pânico evidente em sua voz. “Eu não tenho ideia. Eu juro. Eu não sei de nada além dessa parede.”
Joseph caiu de joelhos e começou a correr os dedos ao longo das costuras das pedras. Ele empurrou para dentro com o ombro ileso, mas a parede não se mexia.
Kevin caiu de joelhos um pouco mais para baixo na parede e começou a empurrar as várias pedras. Quando ele estava no comprimento de seis pedras de Joseph, a parede de repente empurrou para dentro, enviando Joseph para frente, caindo.
Joseph ficou de pé, balançando a tocha em todas as direções. Era uma pequena sala. Ele girou em um círculo completo e quase dançou a luz da tocha passando direto por ela.
Um suspiro subiu. Ele não foi o único a ter visto o corpo ainda deitado no chão. Ele arrancou a tocha de volta e apressou adiante, seu coração gritando em negação o caminho todo.
Atrás dele, havia uma corrida louca e depois mais luz. A câmara toda iluminou e Joseph podia ver as correntes e algemas que circulavam os pulsos e tornozelos de Demetria.
Ele soltou um uivo furioso que ecoou e ricocheteou nas paredes de pedra. Ele jogou a tocha de volta a um de seus irmãos e, em seguida, caiu de joelhos, reunindo Demetria em seus braços. Ele balançou para trás e para frente, beijando seu cabelo, seu rosto, suas bochechas. Sua pele estava muito fria e ela estava muito quieta.
Seu pai ajoelhou ao lado de Joseph, olhando com horror para sua filha, tão sem vida nos braços de Joseph.
“Eu não sabia!” Patrick balbuciou. “Juro pela minha própria vida, eu não sabia!”
Enfurecido, Kevin bateu o homem mais velho contra a parede. “Onde estão as chaves das algemas?”
Mas Joseph ignorou todos eles. Empurrou o cabelo para trás de Demetria e com os dedos trêmulos, sentiu o pulso contra o lado de seu pescoço.
“Ela está...” Eddie interrompeu, incapaz de completar a frase.
“Ela está viva!” Joseph disse em uma onda de alívio. Mas mesmo quando ele exclamou, viu os hematomas no rosto, e raiva explodiu por ele como o fogo do inferno.
As correntes estavam fixadas à parede da câmara com dobradiças antigas que ele duvidava que fosse forte demais. Teria sido suficiente para conter uma moça, mas não um guerreiro que estava tão cheio de raiva que poderia ter lançado num cavalo para libertar sua esposa.
Ele entregou Demetria para o pai. “Segure-a e a proteja.”
Então ele se levantou, pegou as correntes, e com um berro de raiva, arrancou a dobradiça superior, que prendia as duas correntes às algemas em seus pulsos, livre da parede. Antes que ele pudesse passar para a de seus pés, Aiden agarrou a cadeia e rasgou a dobradiça da parede, liberando-a para que eles pudessem pelo menos levá-la do calabouço para remover as algemas.
Eddie estava segurando sua filha com força no peito e chorando baixinho em seu cabelo.
Joseph estendeu a mão para ela, recusando-se a permitir que outro a levasse da prisão. Nenhum outro poderia tocá-la.
Patrick estava completamente branco com medo. Ele balbuciou um fluxo de absurdo e mendicância. Seu filho era o culpado. Ele não tinha conhecimento da trama.
Joseph empurrou por ele em desgosto.
Quando Joseph chegou a corda que conduzia à câmara superior, ele parou. Ele não podia subir, mantendo Demetria e nem podia fazer a subida com ela sobre seu ombro.
Brodie empurrou para frente, Aiden em seus calcanhares.
“Dê ela ao Pai e você sobe,” disse Brodie para Joseph. “Aiden e eu vamos formar uma escada humana e entregá-la até você. É algo que temos feito desde que éramos rapazes. Nós não vamos deixá-la cair, eu juro.”
Joseph assentiu, entregando Demetria rapidamente nos cuidados de seu pai. Ele atirou-se a corda, medo e raiva emprestando-lhe a força de dez homens. Quando chegou ao topo, ele chamou para baixo, e viu Aiden subir sobre os ombros de Brodie, equilibrando-se. Joseph enfiou a cabeça pela abertura, estendendo-se tão longe quanto podia sem despencar para baixo, mas não havia nenhuma maneira que ele seria capaz de atingir Demetria mesmo que Aiden pudesse suportar sobre sua cabeça.
“Kevin, suba,” Joseph ordenou.
Um momento depois, seu irmão subiu na corda e Nicholas rapidamente subiu após ele. Joseph deitou em seu estômago e avançou o seu caminho ao longo da borda.
“Segure-me em minhas pernas,” ele ordenou. “Você vai ter que me puxar e Demetria de volta quando eu alcançar ela.”
Cuidadosamente, seus irmãos seguraram os tornozelos, Joseph baixou, e quando ele estava quase capaz de tocar as mãos estendidas de Aiden, Aiden chamou por seu pai para levantar Demetria.
Ajudado por outros homens, Eddie colocou Demetria para os braços de Aiden, e então ele levantou tão alto quanto poderia quando empoleirou nos ombros de Brodie. Por duas vezes ele quase caiu, mas foi capaz de ganhar o seu equilíbrio, sem deixar ela cair.
Finalmente, Joseph deslizou as mãos por baixo dos braços de Demetria e depois gritou de volta para seus irmãos para puxá-lo para cima.
Ele raspou dolorosamente sobre o chão áspero e seu ombro ferido protestou contra o tratamento áspero, mas ignorou toda a dor e desconforto. Ele tinha Demetria de volta em seus braços. Ela estava viva, apesar de ele não saber a extensão de seus ferimentos ou o que tinha sido feito para ela enquanto estava em cativeiro.
Ele esperou que os outros fizessem a subida só porque ele não podia fazer o que deveria ser feito enquanto ainda segurava Demetria.
Subiram as escadas para o primeiro nível do castelo em silêncio, Joseph segurou Demetria firmemente ao peito o caminho inteiro. Quando chegou ao topo, ele se virou, e quando seu pai e seus irmãos chegaram ao degrau mais alto, Joseph levou Demetria para Eddie.
“Guarde-a bem,” disse ele em voz baixa. “E espere aqui até que eu faça o que preciso. Eu não vou tê-la exposta a ele um momento mais. Eu não quero que ela desperte e o veja em sua vida ou morte.”
Eddie acenou com compreensão e levou Demetria em seus braços. Brodie e Aiden pairaram perto de seu pai, seus olhos escuros e preocupados.
Joseph virou-se para caminhar, deixando os outros para trás. Ele atravessou o castelo e de volta para o pátio, o seu único objetivo era ir de volta para onde Silas estava segurando Ian.
O pequeno bastardo fraco realmente olhou para Joseph em triunfo quando Joseph apareceu no pátio sem Demetria.
“Vê? Eu disse que não tive nenhum uso para uma louca.”
Joseph desembainhou a espada em um movimento suave e antes que Ian pudesse até processar o que estava para acontecer, Joseph enfiou a espada na barriga de Ian até que a lâmina se projetou a sua volta.
Ian olhou em choque, seus olhos vidraram sobre a morte. Sangue borbulhava de sua boca e deslizou para baixo de seu queixo pingando no chão.
“Isso foi para minha esposa,” Joseph rosnou. “Eu espero que você apodreça no inferno.”


e entao o que acharam desse final do capitulo?
bjemi

Um comentário:

  1. Ele todo fofo protegendo ela, o ian mereceu... posta mais

    ResponderExcluir